FANDOM


Autora: Rafaela Louise Sales

Colaboradores: Aline Risson, Daffne Ignácio, Felipe Palharini.

Introdução

A varicela, ou popularmente conhecida com catapora, foi descrita pela primeira vez por Giovanni Filippo, no ano de 1500 na Itália. Após, Richard Morton, um médico inglês, em 1600 deu o nome de catapora ao que ele pensava ser uma forma de varíola. Mais tarde, em 1700, outro médico inglês o William Heberden confirmou a existência da catapora. É doença de infecção viral primária, causada por um vírus RNA, o varicella-zoster, da família Herpes-viridae, tem caráter benigno, porém sua gravidade aumenta conforme a idade, assim, jovens, adultos e os imunocompretidos apresentam maior risco às complicações. Os sintomas da varicela são febre, náuseas, anorexia, e sua principal característica é o aparecimento de lesões maculo-papulosas, que evoluem e atingem um aspecto vesicular pelo corpo. Atualmente a vacina tem alta eficácia contra a catapora e auxilia na prevenção da doença.

Epidemiologia:

A catapora é uma doença que ocorre com grande freqüência e é muito distribuída. Acomete todas as idades, porém é maior em crianças. É uma doença altamente contagiosa, e na maioria dos casos é benigna, exceto quando o individuo é imunocomprometido, ou quando ocorre infecção secundária ou uma outra doença de base. Quando acomete adolescentes e adultos ela se torna mais grave, aumentando o número de internações hospitalares. Dessa forma, pesquisas relatam que 26,7% das mortes por varicela ocorrem em pessoas maiores de 20 anos.

A prevalência geral no Brasil é bem maior em comparação com os outros cinco países da América – Latina (Argentina, Chile, República Dominicana, México e Venezuela). No Brasil, no período de 1998 a 2002, foram registrados 6558 internações por varicela no SIH-SUS. O maior número de hospitalizações é verificado na faixa etária de 1 a 4 anos, seguido dos menores de 1 ano e de 5 a 9 anos. No Brasil, não é considerada uma doença de notificação compulsória, exceto em casos de surtos deve ser notificado às secretarias municipais e estaduais de saúde, como varias crianças infectadas na mesma creche ou hospital.

Transmissão e manifestações clínicas

A varicela é causada pelo varicella-zoster, um vírus RNA, pertencente a famíla Herpes-viridae, e o ser humano é
Figura1.JPEG.jpg

Fonte: http://www.mdsaude.com/2009/11/catapora-varicela-zoster.html

o único hospedeiro natural. É transmitida de pessoa para pessoa através do contato direto e também através de secreções respiratórias. Raramente, pode ocorrer transmissão via contato com lesões. Também, de forma indireta, pode ser transmitida por contato com objetos infectados com secreções ou mucosas infectadas por pacientes. É possível que haja transmissão da varicela através da placenta durante a gestação. O período de maior risco de transmissão é de 48 horas antes do aparecimento das lesões, permanecendo até a formação de crostas em todas as lesões, assim, enquanto houver vesículas, é possível a infecção.

Esse período em crianças saudáveis, dura de seis a oito dias porém é mais prolongado, podendo prolongar-se até meses, em indivíduos que estejam imunocomprometidos. (ex.: pacientes com AIDS, câncer, ou que estejam usando imunossupressores.) O período de incubação, é comum variar entre 14 e 16 dias, podendo estender por 10 a 21 dias.

Figura2.GIF.gif

Fonte: http://prof-marcosalexandre.blogspot.com/2010/07/casos-de-catapora-aumentam-de-julho.html.

Os indivíduos que forem infectados desenvolvem imunidade permanente para a doença, porém raramente pode ocorrer um segundo episódio. O sistema imune consegue controlar a replicação da doença, e na maioria dos casos, ocorre evolução para a cura mesmo que não seja realizado um tratamento específico.

Quando alojados no organismo, os vírus começam a se reproduzir, invadem o sangue e começam as manifestações clínicas que são típicas de infecção.

Geralmente, os sinais iniciais são febre de 38oC à 38,5oC, acompanhado de mal estar, perda de apetite, dor de cabeça, vômito e anorexia. Aparecem ainda lesões cutâneas pápulo-vesicular, na face, couro cabeludo, ou tronco, inicialmente. Este período é caracterizado como período prodrômico, e pode durar de 2 a 3 dias. Após, inicia-se o período exantemático. Neste, aparecem surtos sucessivos de máculas, que evoluem para pápulas, vesículas, pústulas e crostras, e começam a surgir também mais nas partes cobertas do corpo.

Figura3.JPEG.jpg

Fonte: http://www.mdsaude.com/2009/11/catapora-varicela-zoster.html

Complicações e Tratamento

Apesar de ser considerada uma doença benigna, a catapora pode ocasionar algumas complicações. As mais comuns são: pneumonia, hepatite, encefalite (uma inflamação do cérebro) e miocardite ( inflamação do músculo do coração). Pode ocorrer ainda, infecções secundárias bacterianas, devido ao ato de coçar as feridas, levando a lesões na pele como impetigo, abcesso, celulite, erisipela, que podem progredir para quadros de sepse, uma infecção generalizada. Pode ocorrer também desidratação, por causa do vômito e da diarréia e piora da asma brônquica.

Quando administrado o ácido acetilsalicílico (a popularmente conhecida como aspirina) para diminuir os sintomas da catapora, pode vir a desencadear a síndrome de Reye. Esta, caracteriza-se por um quadro neurológico, de rápida progressão, que pode apresentar disfunção hepática, e progredir para o estado de coma.

Geralmente a varicela evolui para a cura sem necessitar de tratamento, uma vez que o sistema imune do organismo consegue combater a replicação viral. Porém, para diminuir os sintomas de prurido é recomendado antihistamínicos sistêmicos e banhos de permanganato de potássio. Para uso tópico,compressas de permanganato de potássio (1:40.000) ou água boricada a 2%, deve ser aplicado várias vezes ao dia, sempre cuidando para não haver contato com os olhos. É receitado também, antibiótico para quando houver infecção secundária.

Diagnóstico

O diagnóstico é realizado através dos sintomas clínicos e aparecimento das lesões. Os exames laboratoriais não são utilizados para a varicela, porém eles podem ser usados para discriminar os diagnósticos diferenciais nos casos graves. Os mais comuns a serem realizados são: imunofluorescência indireta, ensaio imunoenzimático e aglutinação pelo látex.

Fazem parte do diagnóstico diferencial, a varíola, apesar de estar erradicada, infecções cutâneas, dermatites, impetigo, entre outras.

Vacina, eficácia e efeitos adversos:

A vacina contra a catapora é aplicado via subcutânea e composta de vírus vivo atenuado, por isso deve ser evitada em grávidas, indivíduos imunocomprometidos e pessoas que tenha recebido outra dose de vacina composta de vírus vivo nas últimas 4 semanas. Atualmente o esquema de vacinação é de dose única quando criança com idade entre 12 meses e 13 anos. Para indivíduos acima de 13 anos, são duas doses, com intervalo mínimo de quatro semanas, desde que a pessoa não tenha histórico de varicela.

Calcula-se que a vacina confere eficácia de 70 a 90% de proteção contra a infecção. E de 95 a 98% contra as formas graves. Dos registros de crianças com falha vacinal, desenvolveu-se uma catapora de baixa gravidade, com pequenos números de lesões no corpo.

Os efeitos adversos mais comuns são decorrentes do local da aplicação, que gera dor, edema e eritema. Algumas vezes pode ocorrer febre baixa e exantema leve. É muito raro ocorrer reações anafiláticas após a vacinação, mas geralmente está associada à gelatina, que é utilizada como estabilizante da vacina.

Referências Bibliográficas

1- AZEVEDO, Tania. FONSECA, José C. Soroepidemiologia da varicela no Brasil - resultados de um estudo prospectivo transversal -

2- Guia de Bolso – Doenças Infecciosas e Parasitárias. Ministério da Saúde. 6ªedição, 2006

3- OSELKA, Gabriel W., BRICKS, Lucia F., SATO, Helena K. Vacinas contra varicela e vacina quádrupla viral. Jornal de pediatria, Porto Alegre, vol. 82, n .03., Julho/2006 Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0021-75572006000400012&lang=pt&tlng=pt> Visitado dia: 10/11/2011

Links recomendados:

Varicela – Centro de informação em saúde para viajantes. Disponível em: http://www.cives.ufrj.br/informacao/varicela/var-iv.html

Varicela (Catapora). Disponível em: http://www.abcdasaude.com.br/artigo.php?446

Catapora (Varicela) – sintomas e tratamento. Disponível em: http://www.mdsaude.com/2009/11/catapora-varicela-zoster.html

Catapora (Varicela). Disponível em: http://webcache.googleusercontent.com/search?q=cache:http://www.derme.org/boletins/catapora.html

Chicken pox. Disponível em: http://www.copperwiki.org/index.php/Chicken_pox

Informações gerais da varicela. Disponível em: http://portal.saude.gov.br/portal/saude/profissional/area.cfm?id_area=1660 Varicela. Disponível em: http://www.webartigos.com/artigos/varicela/14513/

--Rafaela Louise Sales 21h32min de 1 de dezembro de 2011 (UTC)

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória