FANDOM


Aluno: Eduardo Tomazoni. Colaboradores: José W. Vavruk; Gabriel Clève Nicolodi;

Introdução

A Endocrinologia é a parte da medicina que estuda as secreções feitas por um grupo de células do organismo. As glândulas do organismo humano são chamadas de endócrinas quando o produto é liberado para corrente sanguínea, ou de exócrinas quando a secreção é conduzida para alguma cavidade do corpo, ou para fora do corpo. As glândulas endócrinas secretam substâncias químicas que são chamadas de hormônios. Estas glândulas são estruturas cuja principal função é a secreção hormonal, como a Tireóide, ou são órgãos ou tecidos, que não são glândulas, porém que possuem células secretoras de hormônios, como o coração. Fazem parte das glândulas endócrinas a hipófise anterior, a hipófise posterior, a glândula tireóide, as glândulas paratireóides, as glândulas supra-renais e a glândula pineal. Os órgãos e os tecidos que não são glândulas, mas que possuem algumas células com esta função, são estruturas como hipotálamo, timo, coração, estômago, intestino delgado, pâncreas, fígado, placenta, ovários, testículos e tecido adiposo.


Estrutura química

Cada tipo de hormônio possui uma estrutura química particular, que pode ser uma proteína, um lipídeo ou uma amina: As proteínas são estruturas mais hidrossolúveis, ou seja, se difundem melhor no sangue onde são transportadas rapidamente até a sua célula-alvo. Os lipídeos são lipossolúveis, isto é, não são solúveis em água, e precisam da ajuda de proteínas plasmáticas para transportá-los no sangue até a sua célula-alvo. As aminas compreendem os hormônios liberados na glândula tireóide e nas supra-renais, sendo que os produtos da tireóide precisam de proteínas transportadoras, e as catecolaminas, que são secretadas nas supra-renais, circulam principalmente na forma livre no sangue.


Receptores

Figura 2.gif

Receptor Hidrofílico. Fonte: http://www2.ufp.pt/~pedros/qfisio/lipo_pt.png

Existem três locais possíveis na célula em que os receptores hormonais podem estar presentes, que são: 1)a membrana plasmática; 2)o citoplasma da célula; e 3)o núcleo da célula. Hormônios protéicos e as catecolaminas não atravessam a membrana plasmática, estas substâncias se ligam a receptores protéicos que estão fixos na membrana da célula. Já os hormônios lipídios atravessam a membrana celular com facilidade, e encontram seu receptor no citoplasma. Os hormônios da tireóide atravessam a membrana plasmática e a membrana nuclear, até encontrar seu receptor específico no núcleo. Duas destas situações são apresentadas a seguir:

Figura 1.gif

Receptor Lipofílico. Fonte: http://www2.ufp.pt/~pedros/qfisio/tyr_kinase_pt.png

O destino de todo hormônio liberado é alcançar o seu sítio específico na célula alvo. No momento em que este acoplamento acontece, a maquina celular se mobiliza promovendo a ação esperada por este hormônio. Por exemplo, o hormônio estimulador do hormônio do crescimento (GHRH) é liberado pelo hipotálamo, e atua nos receptores para este hormônio na hipófise anterior; quando estes receptores são ativados há uma cascata de eventos que resulta na secreção de vesículas contendo o hormônio do crescimento (hGH) para fora da célula. O hormônio do crescimento atua no desenvolvimento da maioria das células do corpo.


Locais de secreção hormonal

A seguir serão apresentados as principais glândulas ou tecidos que atuam na liberação de hormônios. Há uma relação entre o tipo de glândula, ou tecido, com o seu respectivo hormônio, e em seguida uma breve descrição da principal função deste hormônio, e da sua estrutura química.

Figura 3aa.jpg

Hipotálamo, Hipófises e Pineal. Fonte: http://www.feesperancaecaridade.org/imagens/pineal-gland.jpg

Figura 4.gif

Tireóide e Paratireóide. Fonte: http://www.thyroidinstitute.org/images/Thyroid_gland.jpg

Figura 7.jpg

Pâncreas. Fonte: http://4.bp.blogspot.com/_e-mPA_6ZQyg/Rz2tP-qRkkI/AAAAAAAAFGY/FRiCcoXOo3U/s400/pancreas.jpg

Figura 8.png

Supra Renal. Fonte: http://www.thyroidinstitute.org/images/adrenal_gland.jpg

Hipotálamo TRH  Hormônio protéico estimulador da secreção do TSH e da Prolactina; CRH  Hormônio protéico estimulador da secreção do ACTH; GHRH  Hormônio protéico estimulador da secreção do hormônio de crescimento; GHIH  Hormônio protéico inibidor da secreção do hormônio de crescimento; GnRH  Hormônio protéico estimulador da secreção do LH e do FSH; PIF  Hormônio amina que inibe a secreção da prolactina;

Hipófise Anterior hGH  Hormônio protéicos estimulador da síntese de proteínas e do crescimento da maioria das células; TSH  Hormônio protéico estimulador da secreção de T3 e T4 na Tireóide; ACTH  Hormônio protéico estimulador da secreção de Cortisol, Androgênios e Aldosterona pelo córtex da supra-renal; Prolactina  Hormônio protéico que promove o desenvolvimento das mamas e a secreção de leite; FSH  Hormônio protéico estimulador dos folículos ovarianos nas mulheres e da maturação dos testículos nos homens; LH  Hormônio protéico que estimula a síntese de testosterona nos testículos e a ovulação, formação do corpo lúteo e a síntese de progesterona e estrogênio nos ovários;

Hipófise Posterior ADH (Hormônio anti-diurético ou Vasopressina)  Hormônio protéico que aumenta a pressão arterial e a retenção de água pelos rins; Ocitocina  Hormônio protéico que estimula as contrações uterinas para o parto e a ejeção do leite pelas mamas;

Glândula Pineal Melatonina: Hormônio liberado quando a via neural relacionada com os sinais luminosos é adequada para estimular a glândula; a melatonina atua suprimindo a secreção do hormônio gonadotrópico na hipófise.

Figura 11.gif

Testículos. Fonte: http://www.assetj.org.br/portal/images/redacao/imagem_1237756704.jpg

Figura 12.gif

Ovários. Fonte: http://www.nlm.nih.gov/medlineplus/spanish/ency/images/ency/fullsize/7192.jpg

Figura 13.gif

Tecido Adiposo Fonte: http://www.finissimo.com.br/belezaesaude/wp-content/uploads/2009/02/alixminde.jpg

Tireóide Triiodotironina (T3) e Tiroxina (T4)  Hormônio amina que aumenta a taxa de reações químicas pela maioria das células do corpo, aumentando o metabolismo corporal; Calcitonina  Hormônio protéico que atua diminuindo a concentração plasmática do cálcio;

Paratireóides Paratormônio (PTH)  Hormônio protéico que aumenta a concentração de cálcio no sangue a partir do aumento da absorção deste íon no intestino e da retirada do mesmo dos ossos;

Coração Peptídeo Natriurético Atrial (ANP)  Hormônio proteíco que reduz a pressão arterial a partir do aumento da excreção de sódio pelos rins;

Estômago Gastrina  Hormônio protéico que estimula a secreção de HCl pelo estômago;

Intestino Delgado Secretina  Hormônio protéico que estimula o pâncreas a liberar água e bicarbonato; Colecistoquinina (CCK)  Hormônio protéico que estimula a contração da vesícula biliar para liberação da bile e a liberação do suco pancreático pelo pâncreas;

Pâncreas Insulina Hormônio protéico que estimula a entrada da glicose para dentro da célula, e com isso a diminuição da glicose no sangue; Glucagon  Aumenta a síntese e a liberação da glicose no fígado para o sangue; O pâncreas é uma glândula mista, ou seja, secreta substâncias que seguem para superfície externa do corpo, e substâncias que seguem para as células e os tecidos.

Córtex da Supra-renal Cortisol  Hormônio lipídeo que atua no metabolismo das proteínas, lipídeos e carboidratos e também possui efeitos anti-inflamatórios; Aldosterona  Hormônio lipídeo que aumenta a reabsorção de sódio e a secreção de potássio e íons hidrogênio, e assim diminuindo a perda de líquidos na urina; Androgênios  Hormônios lipídeos que aumenta a reabsorção de sódio e a secreção de potássio e íons hidrogênio, e assim diminuindo a perda de líquidos na urina;

Medula da Supra-renal Catecolaminas (epinefrina e norepinefrina)  Efeitos semelhantes ao da estimulação simpática, como nas situações de luta ou de fuga; o organismo se prepara para a situação extrema aumentando a pressão arterial, a força de contração e a freqüência cardíaca, o dilatamento das vias aéreas para melhor oxigenação, e algumas outras manifestações fisiológicas.

Rins Renina  Trata-se de uma enzima que aumenta a conversão o Angiotensinogênio, que é liberado pelo fígado, em Angiotensina; esta substância atua na vasoconstrição arterial. 1,25diidroxicolecalciferol  Hormônio lipídeo que aumenta a absorção de cálcio no intestino e a mineralização óssea; Eritropoetina  Hormônio lipídeo que aumenta a produção de hemácias;

Placenta Gonadotrofina Coriônica Humana (HCG)  Hormônio protéico que promove ao crescimento e o desenvolvimento do corpo lúteo, que secreta estrógeno e progesterona; Somatomamotropina humana  Hormônio protéico que auxilia no desenvolvimento do feto e no crescimento das mamas; Estrogênio  Hormônio lipídeo com a mesma ação que o liberado pela supra-renal; Progesterona  Hormônio lipídeo com a mesma ação que o liberado pela supra-ranal;

Testículos Testosterona  Hormônio lipídeo que promove o desenvolvimento do sistema reprodutor masculino e das características masculinas secundárias, como pêlos no tórax e na face, e também o aumento da espessura da laringe;

Ovários Estrógeno  Hormônio lipídeo que promove o crescimento e desenvolvimento do órgão reprodutor feminino, das mamas e das características femininas secundárias, como o aumento da pelve; Progesterona  Hormônio lipídeo que promove o desenvolvimento das glândulas mamárias;

Adipócitos Leptina: Os adipócitos são células do tecido adiposo que secretam o hormônio protéico leptina; este hormônio inibe o apetite e estimula a geração de calor pelas células adiposas;


Mecanismo de Retroalimentação (feedback)

Um dos principais mecanismos para controle do equilíbrio interno é o sistema hormonal, que funciona a partir de mecanismos de feedback negativo, ou em alguns casos positivos. Receptores presentes nas glândulas, que identificam a escassez ou o excesso de alguma substância no sangue, fazem com que a secreção hormonal aumente ou diminua. O equilíbrio interno e as funções vitais do organismo são mantidos deste modo, sendo que a maioria dos hormônios é constantemente liberada nas glândulas, e depois excretada pelos rins.


Referências bibliográficas:

-GUYTON, A.C.; HALL, J.E. Tratado de Fisiologia Médica. 11ª ed. Rio de Janeiro, Elsevier Ed., 2006.

-GERARD J. TORTORA; SANDRA REYNOLDS GRABOWSKI. Corpo Humano, Fundamentos de Anatomia e Fisiologia. 6ª Ed. Porto Alegre, Artmed Ed S.A.

-KEITH L. MOORE; ARTHUR F. DALLEY. Anatomia Orientada para Clínica. 5ª Ed. Rio de Janeiro, Ed. Guanabara Koogan S.A.


Links relacionados:

Introdução à Endocrinologia; Universidade Fernando Pessoa. http://www2.ufp.pt/~pedros/qfisio/hormonas1.htm

Resumo de Endocrinologia; Webciencia. http://www.webciencia.com/11_23endo.htm

Sistema Endócrino Hormonal; Professora Luciana do Valle - Unipar. http://virtual.unipar.br/courses/FISIO2/document/TEXTOS_DE_APOIO/ENDOCRINO-apoio.pdf?cidReq=FISIO2

Sociedade Portuguesa de Endocrinologia. http://www.spedm.org/

Sociedade Brasileira de Endocrinologia. http://www.endocrino.org.br/

Receptores. http://sadato.hypermart.net/livroendocrino/node17.html

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória