FANDOM


Autora: Vanessa Girardi de Lima

Colaboradores: Bruna Scolaro Stasievski, Francisco Simões Pabis, Mayja Liza Ricardo.

Insufici€ ¦ência Respirat€ ¦ória Aguda 1

Fonte: http://www.lookfordiagnosis.com/mesh_info.php?index=3617&lang=3


Definição

A insuficiência respiratória é uma condição clinica na qual os pulmões não conseguem desempenhar adequadamente sua principal função, a troca gasosa, ou seja, a captação de oxigênio e liberação de CO2 está prejudicada. Desta forma, o sistema respiratório torna-se incapaz de manter os valores da pressão parcial de O2 no sangue arterial (PaO2) e da pressão parcial de CO2 no sangue arterial (PaCO2) dentro dos limites adequados para manter o metabolismo tecidual. Sendo assim, caracteriza-se insuficiência respiratória quando a PaO2 é menor ou igual que 60 mm de Hg e a PaCO2 é maior que 45 mm Hg, considerando que o individuo respira em ar ambiente e ao nível do mar.

A insuficiência respiratória pode ser classificada quanto ao tempo de instalação, em aguda ou crônica. A insuficiência respiratória aguda se caracteriza por uma instalação do quadro clínico abruptamente, de horas ou poucos dias, na qual o desenvolvimento da insuficiência é tão rápido que o organismo não consegue compensar as alterações funcionais provenientes da insuficiência, desta forma há surgimento de manifestações mais intensamente. Já a insuficiência respiratória crônica tem instalação lenta com poucos ou quase nenhum sintoma, pois os pulmões desenvolvem mecanismos compensatórios eficientes.

É importante ressaltar que a insuficiência respiratória é uma síndrome, não uma única doença, e vários são os mecanismos que levam à falência do sistema respiratório.

Fisiologia das trocas gasosas

Uma vez que o conceito de insuficiência respiratória está relacionado aos distúrbios das trocas gasosas, entender a sua fisiologia é de grande importância para compreender a fisiopatologia da mesma. Para fins didáticos, o processo é dividido em quatro fases, as quais serão descritas a seguir.

Ventilação

É o processo responsável pela renovação do gás alveolar, resulta de um uma ação integrada entre o centro respiratório, localizado no sistema nervoso central, vias nervosas que inervam os músculos respiratórios, caixa torácica (estrutura osteomuscular) e os pulmões.

Alterações na ventilação levam ao prejuízo do aporte de oxigênio e eliminação de CO2, e podem ocorrer devido às seguintes situações:

- Alteração da elasticidade pulmonar, como ocorre no enfisema.

- Obstrução alveolar, como ocorre na asma.

- Modificações na expansibilidade pulmonar, causada por presença de secreção, tumor ou fibrose na parece alveolar.

- Frequência respiratória diminuída por acometimento do sistema nervoso, deformidades da caixa torácica e/ou músculos respiratórios.

Perfusão

Os pulmões são bastante irrigados pela corrente sanguínea, sendo que os pequenos vasos são os responsáveis pela sua atividade funcional, ou seja, a de trocas gasosas. A perfusão pulmonar pode ser alterada pelas seguintes situações:

- Obstrução do vaso sanguíneo, por um coágulo sanguíneo por exemplo.

- Redução dos capilares pulmonares, como ocorre no enfisema.

Relação ventilação/perfusão (V/Q)

Os valores finais da PaCO2 e da PaO2 resultam de interações entre a ventilação alveolar e o fluxo sanguíneo, sendo que a relação V/Q é maior nos ápices pulmonares. O espaço morto pulmonar é caracterizado por alvéolos ventilados, mas não perfundidos, já a situação oposta é chamada de shunt, ou seja, quando há alvéolos não ventilados, mas perfundidos adequadamente. As alterações na relação V/Q são as causas mais comuns de distúrbios das trocas gasosas. Quadros grave de hipoxemia arterial, a qual é caracterizada pela baixa concentração de oxigênio arterial, como ocorre em pneumonias extensas, é conseqüência da presença de áreas de shunts.

Difusão

Diferentes fatores podem alterar a capacidade de difusão pulmonar, entre eles podemos citar: espessamento da membrana alveolar, extensão da superfície da membrana de difusão e solubilidade dos gases. Um exemplo de doença em que ocorre espessura e alteração da composição da membrana alveolocapilar é a doença intersticial pulmonar, já um exemplo de redução da superfície da membrana alveolocapilar é o enfisema. Em geral, alterações da difusão pulmonar só levam a distúrbios das trocas gasosas em situações de sobrecarga respiratória, como por exemplo durante a prática de exercício físico intenso.

Insufici€ ¦ência Respirat€ ¦ória Aguda 2

Fonte: http://gatasdabiologia.blogspot.com/2008/11/respirao.html


Classificação

A insuficiência respiratória pode ser classificada com sendo do Tipo I (hipoxêmica) ou do Tipo II (hipercápnica). Na insuficiência respiratória do tipo I existe alteração da membrana alveolocapilar, levando a instalação de um quadro hipoxêmico, sendo que a ventilação está mantida. Desta forma, caracteriza-se por queda da PaO2 com valores normais ou reduzidos da PaCO2. A insuficiência respiratória do tipo I compreende doenças que afetam primariamente vasos, alvéolos e interstício pulmonar. Exemplos dessas situações seriam pneumonias extensas ou da síndrome da insuficiência respiratória aguda (SARA). Na insuficiência respiratória do tipo II ocorre diminuição da ventilação alveolar e consequente hipercapnia (aumento da PaCO2) associada a hipoxemia. Esse tipo de insuficiência respiratória também é chamada de insuficiência ventilatória. Pode estar presente em pacientes com pulmão normal, como por exemplo, na presença de depressão do sistema nervoso central e nas doenças neuro-musculares.

Quadro Clínico

Há diversas causas e mecanismos possíveis que podem levar a insuficiência respiratória, sendo assim a apresentação clínica de casos com insuficiência respiratória pode ser bastante variada. Entretanto, alguns sinais e sintomas são bastante comuns, independentemente da etiologia, e são relacionados com as alterações dos gases sanguíneos. Pacientes com insuficiência respiratória geralmente queixam se de falta de ar e demonstram elevações da freqüência respiratória e cardíaca. Cianose está presente e à medida que a hipoxemia acentuam-se, manifestações neurológicas, tais como diminuição da função cognitiva, agressividade, incoordenação motora e mesmo coma e morte podem surgir. O aumento do PaCO2 pode desencadear sintomas semelhantes aos da hipoxemia crônica, além de cefaléia, distúrbios do sono e irritabilidade.

Diagnóstico

O diagnóstico e a investigação da causa da insuficiência respiratória baseia-se numa história clínica informativa, exame físico detalhado e exames complementares, adequados. Sendo que a presença de insuficiência respiratória é confirmada pela análise dos gases sanguíneos.

Insufici€ ¦ência Respirat€ ¦ória Aguda 3

Fonte: http://www.medicinaintensiva.com.br/IRpA.htm


Tratamento

O tratamento da insuficiência respiratória deve ser realizado afim de reverter a causa base, além disso ofertas de oxigênio suplementar, via cateter ou máscara, para corrigir a hipoxemia e/ou suporte ventilatório para corrigir a hipoxemia/hipercapnia e aliviar o trabalho da musculatura respiratória devem ser prontamente instituídos nos pacientes com casos mais severos de insuficiência respiratória, antes mesmo das medidas diagnósticas. O tratamento da insuficiência respiratória ventilatória está baseado no princípio de restabelecimento do equilíbrio entre a capacidade neuromuscular e a carga ventilatória. Uma vez corrigida a hipoxemia e/ou hipercapnia, que oferecem risco eminente ao paciente, deve-se buscar o diagnóstico da causa de base e seu tratamento específico.

Referências

CARVALHO, C. R. R. Fisiopatologia Respiratória. São Paulo: Editora Atheneu, 2005.

PADUÁ, A. I, ET AL. Insuficiência Respiratória. Simpósio: Urgências e Emergências Respiratórias. Cap. I, Ribeirão Preto, 2003. P. 205-203.

PIVA, J. P. ET AL. Insuficiência Respiratória na Criança. Jornal de Pediatria, vol 74, 1998. Disponível em: <http://www.jped.com.br/conteudo/98-74-S99/port.pdf>

Links Relacionados

Terapia Intensiva Moderna – Insuficiência Respiratória Aguda. Disponível em: <http://www.medicinaintensiva.com.br/IRpA.htm>

Fisiopatologia Respiratória. Disponível em: <http://www.sogab.com.br/fisiopatologiarespiratoria.pdf>

Insuficiência Respiratória Aguda. Disponível em: <http://medmap.uff.br/index.php?option=com_alphacontent&section=23&cat=147&task=view&id=432&Itemid=134>

Insuficiência Respiratória. Disponível em: <http://www.medipedia.pt/home/home.php?module=artigoEnc&id=232>

Insuficiência Respiratória: Conceito, fisiopatologia e clínica. Disponível em: <http://www.fisiozone.com/showthread.php?236-Insufici%EAncia-Respirat%F3ria-Conceito-Fisiopatologia-e-Cl%EDnica>

Distúrbios dos pulmões e das vias aéreas. Disponível em: <http://mmspf.msdonline.com.br/pacientes/manual_merck/secao_04/cap_031.html>

--Vanessa Girardi de Lima 17h03min de 1 de dezembro de 2011 (UTC)

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória