FANDOM


Autora: Laís Janeczko

Colaboradoras: Marion Baldissera Gomes de Oliveira e Tamara Caetano


INTRODUÇÃO

As queimaduras se mostram como sendo um problema de grande importância não somente por suas graves lesões agudas, mas também pelas seqüelas resultantes.

Considera-se que no Brasil aconteçam em média 1 milhão de acidentes por ano, destes, 100 mil procurarão atendimento hospitalar e, em torno de 2.500 evoluirão a óbito direta ou indiretamente por suas lesões. Dois terços das queimaduras acontecem no próprio domicílio do paciente, principalmente com adolescentes, que se acidentam mais com líquidos combustíveis, e com crianças, sobressaindo os líquidos superaquecidos.

Pelo costume brasileiro de utilizar o álcool para limpeza, podendo ser facilmente adquirido e normalmente estando ao acesso de crianças, é o combustível responsável por quase 20% de todas as queimaduras em nosso país. É o único com essa estatística, pois em nenhum outro país isso se repete.

As conseqüências graves provenientes das queimaduras no Brasil vêm diminuindo muito, isso devido aos padrões internacionais que permitem a recuperação de pacientes com até 92% da superfície corporal queimada.


DEFINIÇÃO

Queimaduras podem ser definidas como lesões dos tecidos orgânicos devido a uma exposição a superfícies ou líquidos quentes, chamas, substâncias químicas, frio, radiação, atrito ou fricção.


O QUE ACONTECE?

Pele camadas

Fonte: http://www.imagensde.com.br/foto/camadas-da-pele-xxv.html

Nas queimaduras, os finos vasos do nosso organismo, chamados de capilares, têm sua permeabilidade aumentada. Isso acontece porque houve a exposição do colágeno (responsável pelas propriedades físicas) no tecido afetado, fazendo com que a histamina fosse liberada. Esta, e outras substâncias fazem com que sejam liberadas, então, prostaglandinas. Deste modo, esses mediadores inflamatórios aumentam a permeabilidade capilar, fazendo com que os líquidos saiam de dentro para fora dos vasos, ocasionando o que se chama de edema, um acúmulo de líquidos no espaço intersticial (espaço entre os vasos e as células dos tecidos).


CLASSIFICAÇÃO DAS QUEIMADURAS

As queimaduras são classificadas levando em consideração:

• Agente causador

• Grau

• Extensão

• Localização

• Período evolutivo

1. AGENTES CAUSADORES

•Físicos:

  • Temperatura: causadas por gases, líquidos ou sólidos quentes, sendo as mais comuns.
  • Eletricidade: na maioria das vezes não aparecem externamente, pois os danos acontecem na passagem da corrente elétrica pelo interior do corpo. São extensas, mas as lesões de entrada e saída na superfície cutânea são pequenas.
  • Radiação: causadas por raios ultravioletas (UV), por raios-X ou por radiações ionizantes. As por raios UV são as queimaduras solares.

•Químicos: um atendimento pré-hospitalar é necessário nesta situação, pois podem se agravar de forma acentuada. Tem como causa a exposição a ácidos ou álcalis.

•Biológicos:

  • Animais: lagarta-de-fogo, água-viva e medusa podem ser citadas como as mais comuns.
  • Vegetais: deve-se ter atenção com o látex de certas plantas e urtiga.

2. GRAU DE QUEIMADURA

Determinar seu grau significa mensurar a profundidade do trauma térmico na pele. Podem ser divididas em:

• 1º grau: acometimento da camada externa da pele (epiderme), sem modificar os padrões da circulação sanguínea. Aparece o que se chama de eritema, que é uma coloração avermelhada na pela decorrente da dilatação dos vasos. Também é relatado dor local, sem bolhas. Exemplo: queimadura por raios solares.

Queimadura 2o

Fonte: http://www.dermis.net/dermisroot/pt/43037/image.htm

• 2º grau: lesão que atinge a epiderme e a derme (uma camada mais interna que a primeira), com o surgimentoo de bolhas. Dividida em dois tipos:

  • Lesão de 2º grau superficial: acomete a epiderme e um pouco da derme, com bolhas e eritema.
  • Lesão de 2º grau profunda: atinge a derme em sua parte mais interna. As bolhas possuem cor esbranquiçada ou violácea. Podem ser diferenciadas das de 3º grau por serem dolorosas, pois as de 3º grau geralmente não são. Exemplo: lesões com líquido superaquecido (escaldadura).
Queimadura 3o

Fonte: http://www.dermis.net/dermisroot/pt/43006/image.htm


• 3º grau: agride todas as camadas da pele, podendo atingir outros tecidos, como os subcutâneos, músculos e ossos. A lesão possui um aspecto duro, esbranquiçado ou marmóreo, redução da elasticidade tecidual, perda de sensibilidade no local e trombose nos vasos (coágulo sanguíneo). Podem ter causa elétrica ou térmica. Alguns autores descrevem como queimadura de 4º grau aquelas com regiões carbonizadas.


A lesão pode ser aprofundada (por exemplo, de 2º grau superficial para profunda ou 3º grau) pela evolução da queimadura, infecção ou grave instabilidade hemodinâmica. Assim, não se pode caracterizá-las em uma primeira análise, sendo fundamental um nova avaliação depois de 48 a 72 horas da lesão.

Graus queimadura

Fonte: adaptado de: http://offshorebrasil.blogspot.com/2010/05/queimaduras.html









3. EXTENSÃO

Figura 555

Fonte: http://www.mdsaude.com/2010/11/queimaduras-grau.html

A avaliação, principalmente dos pacientes com queimaduras de 2º ou 3º grau, deve ter relação com o percentual da área corporal lesionada, de acordo com o diagrama. Assim, quanto mais extenso o dano for, maior o risco de complicações.

Se as queimaduras não atingem uma região corporal completa, utiliza-se uma técnica simples de cálculo de extensão: a área de uma palma da mão é considerada como sendo 1% da superfície corpórea.


Classifica-se a gravidade em:



•Queimadura leve:

  • 1º grau menores do que 50% da superfície corporal
  • Menos de 15% da superfície corporal de um adulto com queimaduras de 2º grau
  • Menos de 5% da superfície corporal de uma criança ou idoso com queimaduras de 2º grau
  • 3º grau com menos de 2% da superfície corporal atingida

•Queimadura moderada:

  • 1º grau com 50 a 75% da superfície corporal afetada
  • 15 a 25% da superfície corporal de um adulto com queimaduras de 2º grau
  • 5 a 10% da superfície corporal de uma criança ou idoso com queimaduras de 2º grau
  • 3º grau com 2 a 10% da superfície corporal
  • Suspeita de queimaduras do trato respiratório por inalação de ar quente
  • Queimaduras leves em pacientes com doenças que predisponham infecções como imunossupressão, diabetes ou anemia falciforme

•Queimadura grave:

  • 1º grau maiores do que 75% da superfície corporal
  • Mais de 25% da superfície corporal de um adulto com queimaduras de 2º grau
  • Mais de 10% da superfície corporal de uma criança ou idoso com queimaduras de 2º grau
  • 3º grau maiores do que 10% da superfície corporal
  • Queimaduras elétricas
  • Queimaduras das vias aéreas ou lesão respiratória por inalação
  • Queimaduras significativas na face, olhos, orelhas, genitália ou articulações
  • Queimaduras associadas a fraturas ou outras lesões de partes moles
  • Vítimas idosas ou com doenças graves preexistentes

4. LOCALIZAÇÃO

A localização também contribui com a gravidade de uma queimadura. Algumas áreas como mãos, pés e genitais são ditas como críticas. Quando envolvem as vias aéreas são também graves. As chamadas queimaduras circulares, que contornam os membros superiores e inferiores, ou mesmo o tórax, colocam em risco os membros e o tronco por falta de circulação sanguínea.

5. PERÍODO EVOLUTIVO

Observa-se o período inicial da lesão e o período tardio de recuperação. Na fase inicial as queimaduras atingem o organismo e este, com o passar do tempo, reorganiza-se superando a fase de agressão.


QUEIMADURA SOLAR

Protetor solar

Fonte: http://saude.hsw.uol.com.br/spf1.htm

Reação inflamatória que acontece depois de uma exposição da pele a muita luz solar (alta dose de radiação ultravioleta). Ter tido esse tipo de queimadura em qualquer momento da vida é um fator associado a maiores chances de desenvolvimento de melanoma (câncer de pele), entretanto, se isso acontecer nas primeiras décadas de vida essas chances são ainda maiores. Muitos jovens possuem o desejo de ter uma pele bronzeada e não percebem os benefícios da proteção solar. Assim, para se prevenir dos diversos danos causados por uma exposição solar excessiva, deve-se, principalmente: preferir a sombra sempre que puder, evitar exposição ao sol nos horários com luz mais intensa, utilizar fotoprotetores de maneira correta, vestir roupas que protejam o corpo de forma apropriada e, se possível, usar um chapéu que faça sombra para a cabeça e pescoço.

Orientações:

• O tratamento em casa é possível se a pele estiver somente vermelha e ardida, pode-se então fazer uso de cremes e cuidados adequados. Porém, se aparecerem bolhas ou até mesmo febre, é indicada a procura de um médico.

• Nos dois primeiros dias, aconselha-se beber muita água e para o alívio da dor, pode-se fazer uso de cremes e pomadas à base de cortisona, além de hidratantes com aloe vera e calêndula. Às vezes, as pessoas utilizam algumas misturas caseiras, mas isso é muito perigoso e pode agravar a situação.

• Quando a pele começar a descascar não se deve tocar em tais áreas, pois isso predispõe infecções e manchas.

QUEIMADURA QUÍMICA E ELÉTRICA

As queimaduras químicas são, em sua maioria, causadas por ácido sulfúrico ou ácido nítrico e por soda cáustica ou amônia anidra. Os danos ocasionados por ácidos são freqüentemente mais leves do que as por álcali, pois este penetra com mais velocidade e mais profundamente.

Deve-se irrigar a área queimada para retirada de toda substância danosa, que reagirá enquanto permanecer em contato com os tecidos. Inicia-se imediatamente a irrigação com muita água corrente ou soro fisiológico, não usando substâncias neutralizantes. Não se deve utilizar compressas úmidas, pois a água em pouca quantidade é reagente com certas substâncias, produzindo calor e aumentando a severidade da lesão.

Muitas estruturas corpóreas são lesionadas enquanto uma corrente elétrica atravessa o organismo. Esta passagem, seja de uma corrente de alta ou baixa voltagem, acarreta a chamada queimadura elétrica.

RECOMENDAÇÕES

O que NÃO se pode fazer:

• Passar pasta de dente, pomadas, ovo, manteiga, gelo, óleo de cozinha

• Furar as bolhas

• Retirar a pele morta

• Retirar a roupa grudada na área queimada. Se necessário, recorte em volta da roupa que está aderida a pele queimada

• Tocar o ferimento

• Cobrir a queimadura com algodão

Logo depois de ter ocorrido o acidente, deve-se lavar o local com água fria e corrente e, se possível, deixar alguns minutos, a fim de diminuir a temperatura local. APENAS água é permitida!

Como se deve proceder em queimadura causada por:

O que fazer

Fonte: http://www.bauru.unesp.br/curso_cipa/4_doencas_do_trabalho/8_queimaduras.htm

Líquido superaquecido

  • Resfriar o local queimado com água gelada ou água corrente
  • Isolar ou proteger a lesão com um pano limpo
  • Não ingerir alimentos
  • Se dirigir a um serviço de urgência (hospital)

Substância inflamável

  • Apagar a chama com um pano limpo úmido
  • Resfriar a queimadura com água gelada ou corrente
  • Proteger a área com um pano limpo
  • Não ingerir alimentos
  • Se dirigir a um serviço de urgência (hospital)

Substância química

  • Utilizar muita água corrente no local
  • Proteger a lesão com um pano limpo
  • Não ingerir alimentos
  • Se dirigir a um serviço de urgência (hospital)

Corrente elétrica

  • Desligar a fonte de energia ou afastar a fonte com um isolante, por exemplo, um pedaço de madeira, antes de socorrer a vítima
  • Se dirigir a um serviço de urgência (hospital)

Agentes biológicos (animais como: água viva, caravela)

  • Utilizar água corrente no local
  • Proteger a lesão com um pano limpo
  • Se dirigir a um serviço de urgência (hospital)

Fogos de artifício

Explosivos:

  • Proteger a área com um pano limpo
  • Se houver lesão da mão ou dos dedos, elevar o braço para diminuir a hemorragia
  • Se dirigir a um serviço de urgência (hospital)

Não Explosivos:

  • Resfriar a área queimada com água gelada ou corrente
  • Proteger a área com um pano limpo
  • Se dirigir a um serviço de urgência (hospital)


FONTES BIBLIOGRÁFICAS

GOMES, Dino R.; SERRA, Maria Cristina; MACIEIRA Jr, Luiz. Condutas atuais em queimaduras. 2001 : Livraria e Editora Revinter

Corpo de Bombeiros do Estado do Paraná - Manual de Atendimento Pré-hospitalar - SIATE

CECIL, Russel L.; GOLDMAN, Lee; AUSIELLO, Dennis. Cecil Tratado de Medicina Interna. 22 edição. Rio de Janeiro: Elsevier 2005. vol. 1

Haack, Ricardo L.; Horta, Bernardo L.; Cesar, Juraci A. - Queimadura solar em jovens: estudo de base populacional no Sul do Brasil - Rev. Saúde Pública vol.42 no.1 São Paulo Feb. 2008. Disponível em: www.scielo.br/pdf/rsp/v42n1/6251.pdf. Acesso em: 11/11/2010

Queimaduras – Instituto de Acidentes UFRRJ. Disponível em: http://www.ufrrj.br/institutos/it/de/acidentes/queima.htm. Acesso em: 19/11/2010

Medstudents – Queimaduras. Disponível em: http://www.medstudents.com.br/. Acesso em: 11/11/2010.

Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica: Queimaduras - Orientações e Cuidados. Disponível em: http://www.sbcd.org.br/pagina.php?id=75. Acesso em: 05/11/2010

LINKS RELACIONADOS

Instituto Pró-Queimados: http://www.proqueimados.com.br/saiba_centros.asp

Sociedade Brasileira De Queimaduras: http://www.sbqueimaduras.com.br/sbq/

Queimaduras: características dos casos tratados em um hospital escola em Ribeirão Preto (SP), Brasil: http://www.scielosp.org/scielo.php?pid=S1020-49891998001200007&script=sci_arttext

Célula-tronco agiliza cicatrização de queimadura grave – Agência USP de notícias: http://www.usp.br/agen/?p=41661

Portal do Governo do Estado de São Paulo: http://www.saopaulo.sp.gov.br/spnoticias/lenoticia.php?id=210920

Atendimento de emergência e cuidados iniciais para queimaduras – British Medical Journal Brasil – Junho, 2009: http://www.bmjbrasil.com.br/

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória